Presidentes dos TREs participam de encontro em Marechal Deodoro - AL

Presidentes dos TREs participam de encontro em Marechal Deodoro - AL

TRE-RR - Coptrel Alagoas

Os presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) estão reunidos em Marechal Deodoro, no período de 29 de novembro a 01 de dezembro, onde participam do 74º COPTREL – Encontro do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais. A abertura do evento aconteceu nesta quinta (29), às 19h30, no Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) e o encontro acontecerá na sexta (30) e na manhã do sábado (01). O evento tem o objetivo de promover o debate entre os TREs e contribuir para o aprimoramento da Justiça Eleitoral brasileira.


A cerimônia de abertura contou com palestra do Corregedor Nacional de Justiça e Vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Eustáquio Soares Martins e entrega de comendas e medalhas. Além dos presidentes, também participam do evento os diretores gerais e assessores de comunicação dos tribunais, que participam de reuniões paralelas onde avaliam o pleito deste ano e ações futuras para a Justiça Eleitoral.


Os presidentes, ao longo dos três dias de evento, debaterão projetos de tecnologia para realização de eleições, as boas práticas aplicadas nas Eleições 2018, alinhamento institucional da Justiça Eleitoral, estruturas gerenciais, sistemas de aferição de produtividade e alcance das metas do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), transparência do processo eleitoral, entre outras apresentações e debates para a melhoria dos processos eletivos brasileiros.


Roraima está representado no evento pela presidente do TRE, desembargadora Tânia Vasconcelos, Wanderlan Fonseca – secretário de Tecnologia da Informação e Ana Marques – assessora de Comunicação.


De acordo com a presidente do TRE/RR, o encontro será importante para avaliar o processo eleitoral 2018. “Nós vivenciamos um processo eleitoral diferente, no qual as redes sociais foram o foco das atenções e influenciaram positivamente, quando levaram esclarecimentos ao eleitor, e de maneira negativa, quando funcionaram como canal de divulgação e disseminação de notícias falsas, das quais a própria Justiça Eleitoral foi vítima, ao colocarem em questão a segurança da urna eletrônica. Mas, vencemos essa tempestade e agora temos a oportunidade de discutir suas causas para evitar turbulências futuras”, destacou Tânia Vasconcelos.

Últimas notícias postadas

Recentes