TRE-RR vai implantar sistema de transferência de dados em parceria com TJRR

TRE-RR - Corregedoria

A vice-presidente/corregedora do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), desembargadora Elaine Bianchi, reuniu-se na tarde desta quinta-feira (03/11) com o secretário de tecnologia da informação do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR), Clayton Ataíde e com o subsecretário de sistemas do TJRR, Márcio Gomes. Participaram da reunião o chefe da Seção de Análise e Desenvolvimento do TRE-RR, Carlos Corrêa, e os servidores que compõem a Corregedoria da Justiça Eleitoral roraimense.

 

Conforme explicou Clayton Ataíde, durante a reunião foi apresentado um sistema, que está em fase de desenvolvimento, cujo objetivo é transportar para a Justiça Eleitoral, de forma automática, os dados referentes aos réus que perdem os direitos políticos em razão de condenação nas varas criminais da Justiça Estadual.

 

“Atualmente, essas informações são enviadas em papel e precisam ser digitadas em um sistema. Quando a nova solução estiver em funcionamento, elas poderão ser extraídas automaticamente da base de dados do Tribunal de Justiça, e serem transferidas para a base de dados do TRE-RR, economizando papel, esforço de digitação, dando mais agilidade a todo o processo e garantindo maior segurança, considerando que, como os dados serão transferidos diretamente, não haverá erro de digitação”, ressaltou Ataíde.

 

O secretário de tecnologia do TJRR comentou ainda que a proposta será apresentada ao presidente do Tribunal de Justiça e aos juízes das varas criminais para avaliarem se o sistema vai atender as expectativas da Justiça Estadual. “Estamos fazendo os últimos ajustes. Acredito que no máximo em duas semanas iremos colocar em funcionamento”, disse Ataíde.

 

A chefe da seção de apoio administrativo do TRE-RR, Rosenilde Cardoso, comentou que atualmente, na Justiça Eleitoral, existe um problema de espaço para arquivar vários documentos. Com a implantação do sistema, segundo ela, o primeiro ponto positivo será acabar com a utilização de papel.

 

“Além disso, essas informações ficarão acessíveis. Quando precisarmos delas, não temos que recorrer a uma caixa de arquivo morto, pois é só ir no sistema com o nome do eleitor e localizar de imediato a informação da condenação ou da extinção de punibilidade. Isso facilitará a vida de todos, principalmente dos servidores do cartório eleitoral, que vão receber essa informação detalhada”, destacou.

Últimas notícias postadas

Recentes